top of page

Elas, Delas. Um projeto feito por mulheres da música eletrônica.

Um viva para a edição quentinha saindo do forno para o mês de maio! Encerramos o mês com chave de ouro, trazendo histórias maravilhosas de mulheres incríveis que movimentam a cena eletrônica no Brasil e no Mundo.

Este é um projeto criado por uma mulher do Music Business, Janis Freire, para dar destaque ás mulheres que fazem parte da cena eletrônica mundial através de entrevistas, por onde teremos contato direto com a história e carreira das artistas contadas por elas mesmas em entrevista, em sua essência e descobrir histórias incríveis.



 

Red Fox

(Dj de Techno/Produtora de eventos; Brazil)


Olá time da Dj Music Mag! Sou Isis Lima, meu nome artístico é Red Fox e tenho 35 anos. Sou natural de Belém/PA, mas aos 18 anos mudei para o Rio de Janeiro e atualmente estou morando no Sul do Brasil, em Santa Catarina. Estou iniciando esse novo ciclo agora, nesse finalzinho do mês de maio. Fico muito feliz em compartilhar com vocês, pois esse convite veio em um dos momentos mais importantes e significativos da minha vida e carreira. Sou DJ de Techno atuante nas vertentes: Peak Time, Acid, Minimal Techno, Melodic e Progressive, também sou Produtora de eventos.


Iniciei meu projeto em agosto de 2019, mas meu amor pela música eletrônica começou muito cedo, quando ouvi falar pela primeira vez no evento chamado RAVE, que mobilizou toda a minha cidade natal. Ali conheci um mundo totalmente novo! A música, as pessoas e a energia, eram diferentes de tudo que estava acostumada. Meu segundo contato foi na Tribe de 2008 no Rio, me identifiquei com outros artistas, mas o meu preferido desde o primeiro momento sempre foi o SKAZI, com sua performance única no palco, principalmente com a guitarra, já que minhas maiores referências são do rock. Frequentei festas de High Bpm por muito tempo, passei pelo EDM, Electro House, Deep House e Tech House, até que recebi o chamado, como gosto de descrever o início do meu verdadeiro propósito na música. Tive o privilégio de ser contratada pela Secret Agency logo no início da minha carreira. Isso foi essencial para o meu desenvolvimento como artista, por todo o suporte que recebi, principalmente na pandemia. Durante esse período fui residente da Psycho Lives que tem mais de 2,5 milhões de views no Youtube e no Twitch, participei do Isolamento Festival, considerado o maior festival on-line de música eletrônica do mundo, com mais de 130 artistas. Durante esse tempo fui do House ao Techno, onde descobri minha verdadeira conexão e minha identidade na música.

Em 2021 participei do Fenix, primeiro reality de produção musical ao vivo pelo Youtube. A collab deu vida a technera ARLEQUINA, track que inspirou o projeto Arlequina & Joker com o dj e produtor Làcca. A estreia foi ao vivo no metaverso, no jogo GTA pela plataforma da Three Queens.

Em 2021 alcancei a posição 71 no top 100 de uma revista conceituada de musica eletrônica e em 2022 a posição 58. Este ano estou participando novamente e é sempre uma honra estar entre tantas artistas talentosas, além de grandes referências da cena feminina. (Saiba mais em meus perfis).


O que é a música eletrônica para você?

Representa positividade e transmutação. A música eletrônica expressa mais do que só batidas, ela tem poder de transformar o ambiente, a energia, emoções, sensações. Através dela podemos converter o negativo para o positivo, estimular tudo e todos à nossa volta, principalmente no palco, para manter o clima da pista agradável, agitado, trazer bem-estar, excitação, ou aquele sentimento nostálgico das coisas boas vividas e compartilhadas com pessoas e lugares que trazem boas lembranças. Eu vivo essa conexão à 15 anos e seja como público ou como artista, vai ser sempre assim. Música é a minha vida!



Qual é o seu maior objetivo na cena eletrônica?(O que você espera alcançar?)

Me conectar com pessoas do mundo todo através da música, pois ela está alem das nações, raças, culturas. Ela une todas as tribos.

Compartilhar os momentos únicos que ela nos proporciona e seguir no propósito de transmitir as reações universais que ela desperta baseadas nos pilares do amor, respeito, união, paz e igualdade. Música é isso! Ela fala uma linguagem que qualquer um pode entender e se conectar. O único limite é o que o preconceito e o que a mente pode criar.


Conte sobre próximas datas, lançamentos ou alguma música/ projeto que quer dar destaque:


Meu último set está disponível no SoundCloud: Special Set Bday

1h de Techno melódico e Progressive com muitos vocais, batidas pesadas e algumas tracks nostálgicas, como o remix de Everybody Wants To Rule The World do Tears For Fears e remix de Tell Me Why do Supermode. O set inclui sonzeiras de projetos que são algumas das minhas maiores influências nessa linha, como Adriatique, Camelphat, Anyma, e muito mais. Espero que curtam bastante!!!

Tenho uma track sendo finalizada. Estou ansiosa para lançar HOST e ver a pista curtindo muito esse som que é um Minimal Techno poderoso, energizante e apresenta um vocal cibernético. A track vem com referências de produções que cada vez mais vem se destacando na cena global, unindo a expressão cibercultura com a música eletrônica, já que o ciberespaço tem sido o principal canal para o fluxo da cena underground.



Deixe aqui um recado para os leitores da DJ Music Mag:

Agradeço à Janis, idealizadora do projeto Elas, Delas pela iniciativa que promove a nossa cena feminina, apoiando e nos dando espaço para divulgarmos nosso trabalho, nosso sonho. Obrigada à toda equipe e leitores da Dj Music Mag, é muito gratificante dividir um pouco da minha história com todos vocês.

Sigam os seus sonhos e confiem em mergulhar no desconhecido que a sua alma chama.

Quando tinha 13 anos estava na estrada viajando com a minha família, ouvindo Queen. Freddie Mercury é o meu maior ídolo. Pensei... ''Seria tão maravilhoso trabalhar com a música, mas além de não cantar, não sei tocar nada.'' Mal sabia que já estava nos meus caminhos, só que de uma forma diferente.

Se atentem as suas intuições e aos sinais do universo. A vida é muito curta para não fazer o que ama.

Faça aquilo que o seu coração transborda e te deixa orgulhosa de si. Não desista e nunca permita que algo ou alguém faça você se sentir como se não fosse capaz. Valorize quem acredita em você, quem sempre te apoia. Nada do que acontece e nem as pessoas que cruzam os nossos caminhos são por acaso, só precisamos estar alinhados com o nosso propósito de alma e acreditar em nós mesmos, sempre!


Siga Red Fox nas redes sociais e acompanhe o trabalho da artista:

 

Bárbara Naccer

(DJ de Deep House, Tech House e House, Médica; London)


Me chamo Bárbara Naccer, natural de Niterói RJ, porém criada nesse brasilzão a fora (Já morei em mais de 9 cidades diferentes); atualmente vivendo em Londres. As vertentes que toco são Deep House, Tech House e House. Gosto sempre de misturar inspirações brasileiras nos meus sets, e levar a magia Latina por onde eu passo. Escolhi morar na Europa para viver da música e explorar a cena em outros países, para assim estar mais atualizada e exposta, principalmente no meio underground que é a minha paixão.

Sempre me envolvi com expressões artísticas, dança, teatro, pintura e comecei a gostar de música eletrônica por volta dos 7 anos de idade, mas ainda não sabia definir de onde vinha essa curiosidade. Na adolescência, quando morei em uma cidade no interior de Minas Gerais, eu ouvia EDM, mesmo quando todos meus amigos preferiam Sertanejo. Conforme comecei a frequentar eventos, e entender que não se tratava apenas de um estilo musical, mas de um estilo de vida, me vi imersa e totalmente entregue. Foi quando decidi que queria fazer cada vez mais parte desse universo, me tornando DJ.


O que é a música eletrônica para você?

Fiz uma longa jornada para me formar como médica, o que a sociedade esperava de mim. A música era o meu refúgio, que depois virou salvação, para ser quem realmente eu sou.



Qual é o seu maior objetivo na cena eletrônica?(O que você espera alcançar?)

Meu maior plano é me tornar produtora musical. Logo logo, poderei passar para as pessoas, em forma de arte, o meu olhar sobre o mundo. Ter me tornado DJ deu um novo sentido para a minha vida, é um desafio diário, horas de estudo, pensar na minha carreira como artista, manager, pesquisadora, fazer networking, saber ler a pista de dança, ser um guia para apresentar tracks e vertentes novas para o público, e no final, ainda conseguir me divertir e amadurecer. Sempre com a finalidade de conectar a galera e fazer o que amo.


Conte sobre próximas datas, lançamentos ou alguma música/ projeto que quer dar destaque:

Atualmente trabalho em eventos em Londres, e inspirado nas minhas vivências aqui vou lançar um set de Deep House, em Julho de 2023, que vai ser disponibilizado no Soundcloud.

Deixe aqui um recado para os leitores da DJ Music Mag:

Obrigado aos que chegaram até aqui, muitas vezes o incentivo de outras pessoas nos mantem fortes em nossa jornada. Queria deixar um agradecimento especial para Rita Lee, que além de uma grande artista, era uma grande mulher que serviu de exemplo para todas nós. Lembrem-se sempre "music is the answer".




Siga Bárbara Naccer nas redes sociais e acompanhe o trabalho da artista:

 



HELOAH

(DJ de Techno, Melodic House, Organic, Afro e Progressive House; Brazil)


Meu nome é Heloá Flaeschen artisticamente conhecida como HELOAH, 32 anos, natural de Niterói/ RJ e toco vertentes melódicas com o Melodic House e Techno, Organic, Afro e Progressive House.

Conheci a música eletrônica do jeito que muita gente entra nesse mundo, indo em uma rave.

Logo de primeira fiquei apaixonada por aquele som super dançante, as pessoas e tudo relacionado a cultura eletrônica. Vivi momentos inesquecíveis nos anos nos anos que fui pista de dança e isso me fez querer entrar ainda mais nesse mundo. Na busca por um propósito e passando por um despertar espiritual decidi fazer um curso para me tornar DJ e trabalhar com música que sempre foi minha paixão.



O que é a música eletrônica para você?

Música eletrônica para mim é um tipo de ritual moderno. Pessoas reunidas, dançando ao som de batidas repetitivas, num certo estado de transe e vibrando numa mesma frequência. Não é muito diferente de rituais conduzidos por tribos ao redor do mundo, porém agora usando uma linguagem sonora moderna e mais tecnológica que é a música eletrônica.

Então quando eu toco sempre faço questão de levar a minha melhor energia para a pista, criar momentos mágicos de conexão com a música e fazer todo mundo dançar muito.



Qual é o seu maior objetivo na cena eletrônica?(O que você espera alcançar?)

Meu maior objetivo na cena eletrônica é poder viajar por aí levando minha música para o maior número de pessoas possível, fortalecendo a cultura eletrônica de forma positiva.

A música eletrônica mudou a minha vida, me ajudou a me transformar numa pessoa muito melhor então quero contribuir na cena para que outras pessoas tenham a mesma oportunidade.


Conte sobre próximas datas, lançamentos ou alguma música/ projeto que quer dar destaque:

No dia 10/06 eu toco na festa New Age que está em sua terceira edição e acontece

no Madre/Rj. Em novembro eu me apresento pela primeira vez no festival Rock The

Mountain que nessa edição terá um line 100% feminino e vão tocar artista como

Alcione, Maria Bethania e Iza. E no próximo mês vou anunciar uma festa nova que

estou criando com um amigo DJ que vai vir com uma proposta bem diferenciada

aqui no Rio de janeiro.




Deixe aqui um recado para os leitores da DJ Music Mag:

Queria agradecer o convite da Dj Music Mag pelo espaço para poder falar um pouco

sobre a minha carreira. A cultura da música eletrônica é muito importante e faz

diferença na vida de muita gente, artistas, toda a gama de profissionais que

trabalham na cena e principalmente o público que levam a e-music como estilo de

vida. Então vamos todos criar uma cena saudável, de respeito e muita música boa.


Siga HELOAH nas redes sociais e acompanhe o trabalho da artista:


 


KESS

(DJ e produtora de Tech House/ Música; Brazil)


Sou a Késlen Cristina de Melo, um nome muito difícil de se pronunciar aqui pela minha galera, que me apelidaram de KESS, que hoje se tornou meu nome artístico. Nascida e criada em Cajuru, no interior de São Paulo, e hoje vivo não muito longe, mas em Ribeirão Preto - SP. Sou DJ e produtora de Tech House à quase 6 anos, também toco teclado à 4 anos e sou apaixonada por música eletrônica.

Tudo se iniciou em 2017 quando montei meu projeto, mas muito antes disso , como contei em alguns dos meus vídeos do Instagram, minha família foi a verdadeira responsável por tudo isso, pois nunca faltava a hora da baladinha nos churrascos quando nos reuníamos . Eu era muito nova, devia ter por volta de 7 anos, já ficava eufórica e passava muitas coisas na minha cabeça, depois que cresci e comecei a frequentar eventos do tipo, tive a certeza que era aquilo que eu queria para minha vida, nada me chamava mais a atenção. No final de 2017 eu tinha um pen drive e um sonho, e lá fui eu. Comandar uma pista começou a ser a minha paixão, o frio na barriga começou a ser meu companheiro em dia de festa, eu sabia que tinha feito a melhor escolha da minha vida. Nem sempre foi fácil, mas a cada show que passava eu tinha a certeza que tudo aquilo me tornava completa.


O que é a música eletrônica para você?

A música eletrônica com certeza é um caminho sem volta, onde pessoas e emoções se conectam, se libertam para sensações e momentos únicos que só quem viveu sabe. Sem duvidas a música deixa meu mundo mais feliz, e me levou a lugares e pessoas incríveis, onde pude ter as melhores experiências e lembranças.

Todo mundo tem uma track especial que já te fez arrepiar ou lembrar de algum momento, de alguma pessoa… Isso é música, e eu pertenço a esse mundo!








Qual é o seu maior objetivo na cena eletrônica?(O que você espera alcançar?)

Quero continuar levando bons momentos por onde eu passar e sempre dar o meu melhor. Quero também levar minhas músicas à muitos lugares, conhecer muitas culturas e pessoas, proporcionar grandes experiências à todos que eu alcançar, por onde seja. Lançar em grandes gravadoras, collab's com artistas renomados e tocar nas melhores festas com certeza também está nas minhas metas. Espero muito em breve poder realizar um deles que é tocar no Universo Paralello, aquele lugar tem uma energia incrível.



Conte sobre próximas datas, lançamentos ou alguma música/ projeto que quer dar destaque:

Recentemente soltei a ‘’BAM’’ pela gravadora Relyt Records. Esse é meu primeiro lançamento solo, e confesso que a felicidade tomou conta de mim por essa conquista. Sempre fui muito fã do Tyler Coey (o proprietário da gravadora) ja toquei inúmeras musicas dele, e ter minha produção junto com esse time é surreal para mim, só me confirma que quem corre atrás consegue. Eu diria que agora a porteira se abriu, e vai ter muito tech house meu por ai esse ano!

Outra novidade também é meu novo formato de show que está prestes a ser lançado é o KESS LIVE.

Nele eu faço minhas melodias ao vivo por um teclado midi, garanto que não vai faltar groove nesses shows, e também com participações mais do que especiais com a minha amiga e cantora favorita, Vitoria Azevedo. Tenho certeza que será um verdadeiro espetáculo, mal posso esperar para entregar isso tudo!



Deixe aqui um recado para os leitores da DJ Music Mag:

Antes de tudo quero agradecer a toda a equipe da Dj Music Mag pelo espaço em poder compartilhar com vocês um pouquinho da minha história, foi um grande prazer! A todos os leitores muito obrigada, espero que gostem e que me acompanhem nas redes e pistas da vida. E para você que tem um sonho, nunca desista dele!

Siga KESS nas redes sociais e acompanhe o trabalho da artista:

 

Gostaram das nossas artistas desse mês? Eu amo fazer esse projeto e amo conhecer a cada mês mais artistas brilhantes com histórias maravilhosas, a minha parte favorita é quando elas contam o que significa a música eletrônica para elas!

Agora corre no instagram da revista @djmusicmag e compartilha a sua artista favorita no story marcando ela e a revista para mostrar apoio.

Bye Bye, see you next month!

- Janis Freire

bottom of page