top of page

Elas, Delas. Um projeto feito por mulheres da música eletrônica.


É o projeto feito por uma mulher do Music Business para apresentar a vocês outras mulheres da cena eletrônica, sejam elas DJs, Produtoras Musicais, Promotoras de eventos, Vocalistas, Artistas independentes ou qualquer outra função atribuída com relação a cena da música eletrônica, que merecem espaço para apresentar o seu trabalho.


Eu apresentarei aqui 5 nomes de mulheres da cena eletrônica Brasileira, com histórias incríveis, projetos impressionantes e muito amor pela música eletrônica envolvidos.

E esta segunda edição trás nomes nacionais e internacionais para compor o time do mês!



Preparem-se para se encantarem com as 5 Elas, Delas do mês:


 

Kalillah

(Dj, Produtora de Eventos, pesquisadora em Cultura e Direitos Culturais, Advogada e Professora de Língua Portuguesa)


Camilla Garcêz Ribeiro, a.k.a. Kalillah.

Meu nome é Camilla Garcêz Ribeiro, conhecida artisticamente como Kalillah. Tenho 27 anos e sou natural de São Luís (Maranhão), mas moro em Petrolina (Pernambuco) desde o começo de 2022. Sou DJ desde 2016 e atualmente me dedico principalmente à house music e ao disco, passeando pelo deep house e pelo tech house, mas iniciei minha carreira musical tocando hip hop, R&B e música pop retrô, ritmos pelos quais ainda passeio em uma gig ou outra.

Antes de tudo sou uma grande amante de manifestações culturais e artísticas, o que me levou às pick-ups e também às pesquisas em cultura. Sou mestra em Cultura e Sociedade pela Universidade Federal do Maranhão e desde a graduação sou pesquisadora em Cultura e Direitos Culturais, realizando pesquisa bibliográfica e de campo com diversas iniciativas culturais e de economia criativa ludovicenses.

Construo minha história enquanto DJ a partir da minha paixão por música e da minha percepção do quanto a imagem feminina é poderosa comandando uma pista. E isso é o que verdadeiramente gosto de fazer, o que me torna completa: proporcionar experiências musicais afetivas e envolventes para aqueles que me escutam – em resumo, eu amo mesmo é comandar um PISTÃO de dança, daqueles que você percebe que as pessoas estão vivendo o aqui e o agora, aproveitando e se deliciando com todas as sensações que escutar boas músicas nos trazem.

Um ponto fundamental da minha história enquanto DJ é o COLETIVO MAGNÉTICA, que tive o prazer de ser uma das fundadoras e de seguir firme e forte com minhas meninas no propósito de mulheres no djing. Não há como falar de mim enquanto DJ hoje sem falar do Coletivo Magnética. Somos um coletivo feminino e feminista que conta com diversas profissionais incríveis que tornam nosso trabalho fantástico e que me engrandecem enquanto artista. Vale a pena conferir no instagram @magneticaslz

Esse ano também estou tendo o prazer de ser uma das Embaixadoras da maior premiação de mulheres da música no Brasil: a WME Awards - Womens Music Event.


Iniciei na cena eletrônica no Maranhão em 2018, mas iniciei depois de um longo tempo de preparo, afinal eu vinha de outras pesquisas musicais, conforme mencionado anteriormente. Fui uma criança apaixonada principalmente por três vertentes de música: hip hop, R&B e música eletrônica. Sim, eu já ouvia desde criança... inclusive pra mim é muito nostálgico falar em tracks como ‘If you...’ de Magic Box, ‘Gypsy Woman’ de Crystal Waters, ‘Sandstorm’ de Darude, ‘Shining Star’ de Get Far e outras que estiveram muito presentes na minha infância e adolescência (e também várias da série Summer EletroHits).

Meu coração bate pela música eletrônica desde pequena.


O que é a música eletrônica para você?

Música eletrônica, pra mim, é o caminho pra liberdade corporal, pra expressividade individual e coletiva de quem realmente gosta, é uma porta de entrada pra sensações indescritíveis que só o próprio corpo sabe quando dançamos uma boa música. Música eletrônica é liberdade e é diversidade.


Qual é o seu maior objetivo na cena eletrônica?(O que você espera alcançar?)

Meu objetivo é continuar sendo apaixonada pelo que faço, porque acho que a paixão é o que move tudo, nos momentos de felicidade e nos de tristeza. Quero continuar com a paixão pelo que faço acesa. Mas quero, também, continuar levando bons momentos de dança, diversão e sentimentos bons pra quem me escuta, assim como quero ser inspiração pra outras mulheres que tenham paixões iguais ou parecidas com as minhas.

Estou com projetos de viajar por alguns lugares do Brasil pra tocar. Estive no Maranhão por anos e agora tenho construído uma história aqui em Petrolina. Mas um dos meus objetivos para os próximos capítulos é viajar por cidades Brasil afora pra conhecer gente e levar um pouco de música, dança e felicidade através dos meus sets.



Conte sobre próximas datas, lançamentos ou alguma música que quer dar destaque:

Estou vindo de uma temporada agitada em São Luís. Viajei rapidamente pra participar de eventos incríveis lá como o Tim Music Festival com nomes como Baiana System, Iza, Preta Gil e Tribo de Jah, o Baile do Vermelho da produtora Nabuxk (a qual também recomendo MUITO enquanto excelente produtora maranhense) e do Coletivo Magnética do qual faço parte, em collab com a produtora Aconselho (uma das maiores de música eletrônica do Maranhão). Nesse fim de ano permaneço tocando por Petrolina.

Deixo aqui como destaque meu set Solid Grooves, disponível no SoundCloud. Foi o primeiro set de música eletrônica que gravei e tenho uma afeição forte com ele.




Deixe aqui um recado para os leitores da DJ Music Mag:

Salve galera da DJ Music Mag! Que prazer enorme falar com vocês. Agradeço a todo mundo o tempinho que estão concedendo pra ler um pouco sobre o meu trabalho, isso é muito valioso pra mim. Espero vê-los em breve em alguma pistinha!




 

Angélica DC

(DJ, Produtora musical, Influencer)


Angélica Domingos Custódio, conhecida como Angélica DC, natural de Tangará da Serra/MT, local em que resido atualmente, iniciei minha carreira como Dj em meados de 2013, e posteriormente, no ano de 2018, inicie na produção musical, com minha primeira track:“chasing stars”.

Desde muito nova tive curiosidade sobre a música, lembro que, quando criança, fazia gravações em fita cassete de musicas que gostava que passavam na rádio; meus brinquedos sempre foram relacionados a música, como Piano, guitarra, sanfona, gaita etc.

Com o passar do tempo, já em minha adolescência, mas bem antes de pensar em ser DJ, ficava imaginando como seria o vocal de uma música na batida de outra, e então, foi que tive meu primeiro contato com um programa de DJ, onde comecei a criar alguns mashups.

Esse meu interesse pela música foi notado por um colega meu, que me deu os primeiros passos, ensinando a tocar em uma CDJ 100S entre outros equipamentos. Após, sempre busquei aprender mais e mais sobre a arte da mixagem. Um tempo depois eu comecei a Trabalhar em um projeto chamado ‘O Baile’ dedicado à música eletrônica brasileira em uma rádio FM local, esse projeto foi muito gratificante para mim.


O que é a música eletrônica para você?

A música eletrônica é como uma cura. Ela tem um poder fascinante sobre o corpo, proporcionando uma energia imensa de vários aspectos dentro da gente.


Qual é o seu maior objetivo na cena eletrônica?(O que você espera alcançar?)

Hoje estou focada em aprender mais sobre o mercado musical. E a cada dia busco aprimorar mais meu conhecimento musical. Minha meta é evoluir o meu ouvir e sentir, para proporcionar experiências memoráveis a cada um de vocês em minhas apresentações.


Conte sobre próximas datas, lançamentos ou alguma música que quer dar destaque:

Estou em um momento de ascensão. Espero em breve estar dividindo com vocês meus futuros projetos e parcerias.



Deixe aqui um recado para os leitores da DJ Music Mag:

Fazer o que você ama não tem preço que pague. Não desistam daquilo que vocês mais querem. Sempre sejam honestos consigo mesmo e leais a aqueles que te apoiaram lá de baixo.



 

Bia Bailey

(DJ atuante nas vertentes do Melodic Techno, Progressive, Minimal e subvertentes, Produtora Musical especializada em Sound Designer.

Music Business: Produtora de Eventos, Diretora Artística/Curadora, Stage Manager e Label Manager.)


Bianca Fontes, carioca da gema, Rio de Janeiro aka Bia Bailey.

Residente nos Estados Unidos por 2 anos, Califórnia e Michigan.

Sempre fui apaixonada por música e dança desde criança, em 2012 foi o início de tudo, porém antes ainda nos Estados Unidos tive forte influência da Música Eletrônica em Detroit /MI , onde foi a minha primeira rave.


Em 2018 iniciei meu projeto Bia Bailey como DJ oficialmente juntamente com meu evento, a Deep In House, que em 2020/2021 foi o primeiro Boiler Room do Rio de Janeiro.


Totalmente encantada por produção musical e teoria, ainda em 2020 mergulhei fundo nos estudos, tive mentoria e me formei pela UB Tutorials, onde não parei mais de estudar e isso me capacitou muito me dando grande destaque em minhas apresentações pelas minhas mixagens peculiares e irreverentes, além da minha forte identidade sonora. Hoje meu público consegue identificar quem é Bia Bailey pela minha linha de som diferenciada do tradicional sendo grande influenciadora musical pela sua busca e expertise no assunto sonoridades.


Atualmente formada em Síntese Sonora com ênfase em Engenharia (também pela UB Tutorials), continuo em constante destaque por apresentar minha sonoridade musical forte, carismática e marcante na cena da Música Eletrônica principalmente feminina, tirando sempre elogios por onde passo.


Com lançamentos no forno já previstos para 2023 pela minha gravadora Hyper Dimension, já preparo a nova fase de apresentação do meu show “The Underground Music Showcase” com músicas totalmente autorais.



O que é a música eletrônica para você?

A música eletrônica para mim é o encontro da melodia com a alma, ela cura, ela cuida, ela te faz feliz na sua mais pura essência.



Qual é o seu maior objetivo na cena eletrônica?(O que você espera alcançar?)

Na verdade eu não busco fama e nem enriquecer da música, o que busco é qualidade de vida fazendo o que mais amo e deixar um legado para minha filha com a música, para que ela possa levar adiante todo valor que deixei para a cena até o fim da minha vida, esse é o real sentido p mim. Eu já entendi meu propósito e o que meu coração bate forte é sempre poder somar, ajudar, apoiar tanto artistas iniciantes, pequenos e grandes e o apoio às causas sociais através da música.



Conte sobre próximas datas, lançamentos ou alguma música que quer dar destaque:

Meu destaque maior agora é a minha gravadora, nela somos uma grande família e eu me sinto muito realizada por mais esse projeto! Os destaques são para os lançamentos de artistas incríveis que estão à todo vapor e aos meus que sairão muito em breve!



Deixe aqui um recado para os leitores da DJ Music Mag:

Seja realmente bom naquilo que faz, acredite no seu potencial, descubra o que faz seu coração pulsar e vá em busca da realização dos seus sonhos, só pare quando você conseguir. Costumo dizer: “Se não for para sentir não faz sentido!”.



 

𝙳𝚊𝚗𝚒 𝚃𝚘𝚝𝚒𝚗𝚘 (Argentina, DJ, Produtora musical)

*ps: entrevista realizada em espanhol, colocarei as respostas no idioma original entre parênteses e em português logo abaixo .


(Mi nombre es Daniela Totino y tengo 26 años. Naci en el sur de la Argentina pero actualmente resido en la capital de Buenos Aires. Actualmente estoy trabajando junto con una nueva Agencia, pero de ello no puedo hablar mucho aun. Pronto lo estare anunciando.Siento pasion por la musica desde muy pequeña, aunque mis comienzos en la musica electronica se dieron hace 5 años, sintiendome influenciada en generos como house, tech house, minimal y techno.)


Meu nome é Daniela Totino e tenho 26 anos. Nascida no sul da Argentina, mas atualmente reside na capital de Buenos Aires. Estou atualmente a trabalhar em conjunto com uma nova Agência, mas não posso falar muito sobre isso. Em breve vou anunciá-lo.

Sou apaixonada por música desde muito jovem, embora meus primórdios na música eletrônica tenha demorado há 5 anos, sentindo-se influenciado por generos como house, tech house, minimal e techno.


O que é a música eletrônica para você?

(Para mi es un sentimiento que no se puede describir con palabras, es todo lo que me gusta y mi cable a tierra.)

Para mim, é um sentimento que não pode ser descrito em palavras, isso é tudo que eu gosto e meu cabo no chão.


Qual é o seu maior objetivo na cena eletrônica? (O que você espera alcançar?)

(Mi mayor objetivo es llegar a ser reconocida por mi trabajo y que eso le guste al publico de todo el mundo)

Meu maior objetivo é tornar-se reconhecido pelo meu trabalho pelo público em todo o mundo e que os agrade.


Conte-nos sobre as próximas datas, lançamentos musicais, projetos ou uma música que você gostaria de destacar:

(En estos momentos estoy iniciandome como productora donde ya pronto podre compartir mi musica con la gente.)

Atualmente estou começando como produtor onde agora posso compartilhar minha música com pessoas.



Deixe uma mensagem para os leitores do DJ Music Mag aqui:

(Les mando un saludo a todos los lectores de DJ Music Mag, pueden seguir mis trabajos en redes sociales. Y gracias a DJ Music Mag por el espacio y la oportunidad que me conozcan )

Parabenizo todos os leitores do DJ Music Mag, eles podem acompanhar meu trabalho nas mídias sociais. E graças ao DJ Music Mag pelo espaço e oportunidade para que vocês me conheçam.


 

HDMY (França, DJ, Música, Modelo)

*ps: entrevista realizada em espanhol, colocarei as respostas no idioma original entre parênteses e em português logo abaixo .


( Mi nombre es Émeline, dijo Emy. Mi nombre artistico se crea con mis iniciales. HDMY para Emeline Su De Minden. Nací en Francia el 1 de abril de 1985. Por el momento me estoy haciendo cargo de la mezcla, no estoy haciendo ningún escenario todavía, pero sí algunos conciertos. Empecé de adolescente en fiestas, con mis amigos, y porque mi madre organizaba festivales (trance). En su momento fue con vinilos. hace 17 años.Crecí en una familia con muchos gustos musicales. De niña ya estaba en festivales.)


Meu nome é Émeline, digo, Emy. Meu nome artístico é criado com minhas iniciais. HDMY- Emeline Su De Minden. Nasci em França em 1 de abril de 1985. No momento eu estou cuidando da mixagem, ainda não estou fazendo nenhuma cenas, mas faço alguns concertos.

Comecei quando adolescente em festas, com meus amigos e porque minha mãe organizou festivais (trance). Na época era com vinis. 17 anos atrás. Eu cresci em uma família com muitos gostos musicais. Quando criança eu já estava em festivais.



O que é a música eletrônica para você?

(Para mí, la música electrónica es un poco como el ritmo de mis emociones. Es la única música que no me cansa. Me gustan muchas cosas pero muchas veces otras canciones me recuerdan épocas de la vida, mientras que la música electrónica me permite "desconectar". Escapar.)


Para mim, a música eletrônica é um pouco como o ritmo das minhas emoções. É a única música que não se cansa. Eu gosto de muitas coisas, mas muitas vezes outras músicas me lembram de tempos de vida, enquanto a música eletrônico me permite "desconectar" e escapar.


Qual é o seu maior objetivo na cena eletrônica? (O que você espera alcançar?)

(Mis objetivos aún no están del todo definidos porque todavía no me siento legítimo. Estoy muy falto de confianza en mí mismo, no lo sé todavía. Si sigo mis sueños, en realidad estoy apuntando a la cumbre... Por otro lado, no me atrevería a reclamarlo por el momento.)


Meus objetivos ainda não estão totalmente definidos porque ainda não me sinto legítimo. Estou muito faltando confiança em mim mesmo, ainda não sei. Se eu seguir meus sonhos, estou realmente apontando para o cume... Por outro lado, não me atreveria a reivindicá-lo por enquanto.


Conte-nos sobre as próximas datas, lançamentos musicais, projetos ou uma música que você gostaria de destacar:

(No te puedo decir, por el momento tengo la suerte de tener una persona que cree en mí, cuyo nombre es Tyler Coey, así que me dejo guiar porque con su experiencia, él sabe antes que yo cuándo y dónde. .. Confío en él para la siguiente parte.)


Não posso dizer-lhe que neste momento tenho a sorte de ter uma pessoa que acredita em mim, cujo nome é Tyler Coey, então me deixei guiar porque com sua experiência, ele sabe quando e onde. .. Eu confio nele para a próxima parte.



Deixe uma mensagem para os leitores do DJ Music Mag aqui: